verbo

saudade é verbo
conjugo, carrego
faço dela imperativo,
castigo,
vazio.

molda-se a saudade:
do passado não vivido
do vivido,
convenientemente
distorcido
a meu favor.

do futuro, esperança
inócua, que procuro
no entreabrir de sua boca
para dizer, ah, por favor,
o que desejo ouvir.

do presente, comumente
como mente
este ausente!

mata-se
apenas
quando renasce.

Sobre Rodolfo Araújo

Jornalista, amante do teatro, um (des)crente (in)constante.
Esse post foi publicado em poesia. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s