Arquivo do dia: setembro 28, 2013

piano

desejei-te primeiro, em todo meu sempre ouvir das tuas câmaras os ecos e temores dedilhar em teu corpo a partitura, desamores admirar teu brilho como quem resigna e consente: como poderia, entre tuas curvas, haver lógica tão evidente? matematizar os … Continuar lendo

Publicado em poesia | 1 Comentário

porvir

quanto arde a impossibilidade de tocar-te desaparecer neste semblante de ternura ouvir no mais profundo silêncio a aurora revolver-me nos oceanos densos de teus beijos assim passas – e me iludes a mim escraviza: quanto cativa! anda feito sopro entre … Continuar lendo

Nota | Publicado em por | 3 Comentários