fresta

fresta
afunila um sopro
molda esguiamente a lufada
retifica, ao filtrar um feixe
oxigena, com a liberdade flerta: o fora.

estende-se, comprida
pouco larga: discrição
de longe, despercebida
risco feito outro qualquer: multidão

assombra, quando próxima
revela, ventila, quimera
parece camuflar-se, vez ou outra
reage com disfarce à desatenção: some

ofusca em profusões cíclicas: cores e luzes
formas, relevos, perfumes, períodos, matizes
amplitude severa
de um mundo
que não para de esticar.

Sobre Rodolfo Araújo

Jornalista, amante do teatro, um (des)crente (in)constante.
Esse post foi publicado em poesia. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s