Arquivo do mês: setembro 2014

depois do meio-dia

eram sabores belgas que trafegavam língua abaixo revolvendo em maremotos de trigo e frutas – aparentemente na tentativa de mimetizar a tempestade áspera do lado de fora. ler em silêncio configura-se como outra bênção em lugares nova-iorquinos como aquele. o … Continuar lendo

Publicado em prosa | Deixe um comentário

entre

no vazio  entre um suspiro e outro um poema natimorto.  

Publicado em poesia | Deixe um comentário