Arquivo do mês: dezembro 2014

central

havia um filtro, enquanto percorria a rua central; o acinzentado racional do presente embebia-se das dóceis cores do outrora. de fato, mais vivas eram; vermelhos intensos, amarelos solares azuis masculinos, púrpuras suaves. nos fuscas, fachadas, relógios de rua intensa poluição … Continuar lendo

Publicado em poesia | Deixe um comentário

libertação

fechar a porta, sem os dramáticos arroubos de contemplar o passado; decidir, arrumar e partir mecanicamente à espera de si mesma ali, do outro lado, talvez na calçada, antes mesmo da porta; num degrau. expiar os pecados de não sucumbir … Continuar lendo

Publicado em poesia | Deixe um comentário