Arquivo do mês: janeiro 2015

horizonte

uma fina camada vítrea separa apara a poeira estanca, ligeira gotejo intenso, cortejo alado de pássaro curioso voyeur escandaloso espiões quaisquer além dela, miniaturas de nós de ferros e latas alguns aos céus tentam se erguer na circular teocracia financeira … Continuar lendo

Publicado em poesia | Deixe um comentário