Arquivo do dia: abril 7, 2015

invisível

no claustro da redoma, atrás da fronteira à sombra, à espreita, na fresta, a colheita, o passado-futuro furta-cor soterrada no medo na trincheira de um texto sob o suspirar lento do trauma e o efeito colérico do torpor narcótico destino-correnteza … Continuar lendo

Publicado em poesia | Deixe um comentário