Arquivo do dia: julho 14, 2015

soneto inglês

ah, no úmido recôndito ouço um brado a profundidade da brancura pueril espanta-me em olhar arrebatado comprime o peito em devaneio febril espalhado na alcova, sussurro: pecado de meus pensamentos, jorra-te líquido vil arranca da minha pele o medo inacabado … Continuar lendo

Publicado em poesia | Deixe um comentário