Arquivo do dia: agosto 11, 2015

gado

há um tubo a sugar rumo (ao) escuro há um gado cabisbaixo ensimesmado marcha lento para o muro há idosos fadigados um som alto a tocar vendedores clandestinos amores repentinos e olhares fugitivos escapismos milimétricos aforismos tão poéticos pregadores tentam … Continuar lendo

Publicado em poesia | Deixe um comentário