Arquivo do mês: janeiro 2016

constatação

lente que estica os horizontes, todos pele que exala sonhos todos, loucos olhar espelho obviedade à beira do indecifrável descoberta espanto num presente-rebento do mundo tempo estendido em fios escuros tecidos nos ternos silêncios da luz encontro das almas ensimesmadas … Continuar lendo

Publicado em misturas | Deixe um comentário

fazer

saber-se: mirar a lonjura do espelho assentir inflar-se: inteiro, homem partir singrar: a sinuosidade da vida rumo ao mar sorver: seus calores, dores e harmonias num denso calar viver: profunda, lenta, pausadamente a febril agrura destes lábios multiplicar: a vida … Continuar lendo

Publicado em misturas | Deixe um comentário

prática

o livro dos conceitos fechou-se após violento golpe invisível e indizível pesado, devido ao acúmulo de experiências teóricas, virou pó com o bater da capa pudera: ficções, tão juntas constituem alquimia imaterial sobrou a água da chuva a umidade da … Continuar lendo

Publicado em misturas | Deixe um comentário

ver

Estranho-te ao ficares longe à espreita da assimetria de um tempo sinuoso capaz de desenhar volúpias incandescentes que seguem teus passos passos. esqueço-me dos despertares e arroubos olvido a mais fina membrana tecida pelos feixes matinais o outrora funde-se com … Continuar lendo

Publicado em misturas | Deixe um comentário