febre

doutores, pois bem:
repete-se o estado.

são murmúrios de pensamento
logo convertidos em drásticos sintomas:
a leitura turva
profusão de versos
palmas úmidas e um tanto destemidas
boca absorta pelo idioma dos beijos de Cortázar

gravíssimo.

sentenças inconsequentes
madrugadas de suores musicais
tatuados em lençois espantados,
crispados, enovelando aqueles corpos
desespero
puro!

prevejo o afiado marfim do destino
a romper aquelas carnes rubras
– mas vislumbro, também,
um certo prazer de ambos
em assim morrer

terminais.

Sobre Rodolfo Araújo

Jornalista, amante do teatro, um (des)crente (in)constante.
Esse post foi publicado em misturas. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s