Arquivo da categoria: misturas

bola de cabelo

Ela saltou na direção dos trilhos do metrô com a leveza de uma pluma despretensiosa. Mal se importava com a opinião dos outros; provavelmente poucos haviam reparado em seu movimento plataforma abaixo. O próximo trem ainda não rugia túnel adentro, … Continuar lendo

Publicado em misturas | Deixe um comentário

Blecaute

Digamos que minha vida começou sob as luvas espessas destes homens fantasiados em macacões acolchoados e fluorescentes. Instrumentos à mão, ligaram meus fios, extensões e placas até que, num rompante, fiat lux. Meus primeiros momentos de consciência me fizeram avistar … Continuar lendo

Publicado em misturas | Deixe um comentário

Tempos

O casal estava muito bem centralizado na foto. Lâmpadas emolduravam a cena com luz quente, enquanto a decoração florida, meio impressionista, contentava os que poderiam enxergar o ocorrido com a devida distância. A fotógrafa, certeira na captação do instante decisivo … Continuar lendo

Publicado em misturas | Deixe um comentário

Beni

É enganoso o céu azul na Roma de outono para aqueles que fazem a previsão do tempo de janela fechada. Maldisse o mundo e Deus antes de tomar o caminho para o Vaticano. Segundo o aplicativo, não levaria mais de … Continuar lendo

Publicado em misturas | Deixe um comentário

Elas não falam

José nem bateu à porta naquele dia. Foi direto para a cozinha e surgiu em meio ao vapor branco do espaguete para surpreender Marisa. Já são muitas décadas para ela perceber um gesto desses de bate-pronto. Ele insistiu até que … Continuar lendo

Publicado em misturas | Deixe um comentário

A dança das sombras

Mordeu o primeiro pedaço da maçã como se fosse permanecer por mais um instante. Não havia naquele gesto um pingo de solenidade ou deferência a um suposto amargor – algo comum em despedidas. Precisava matar a fome e sair. Pegou … Continuar lendo

Publicado em misturas | Deixe um comentário

metrópole

o tempo é o corpo cada nervura ou espaço reto, torto expande, contrai sístoles-diástoles ritmadas às curvas do olor que passa, maltrata não há resposta outra se não o breu para que beba, fartamente o imenso volume-volúpia a preencher cilindricamente … Continuar lendo

Publicado em misturas | Deixe um comentário